AS ORIGENS DA CULTURA

As primeiras obras de arte produzidas pelo homem conhecidas datam de cerca de 34 000 anos atrás, feitas com um material que ainda mantém uma aura de mistério: marfim de mamute.

Esculpidas com habilidade surpreendente, as figuras representam animais predatórios, cavalos e, claro, o animal que forneceu esse material precioso à humanidade, utilizado na confecção de joias, esculturas e utensílios.

Com suas enormes presas curvas de até 4 metros de comprimento e pesando até 150 kg, o mamute deve ter feito uma grande impressão sobre nossos antepassados. Preservado para a posteridade através de pinturas rupestres e figuras esculpidas, tornou-se um símbolo de uma época inteira na história do desenvolvimento humano.
Pen of the Year 2006
A procura pelo material branco misterioso permaneceu após o fim da última era glacial. O Rei Salomão, famoso não só por sua sabedoria, mas também por sua riqueza fabulosa, mandou fazer um grande trono de marfim, revestido de ouro puro.

As obras do escultor Phidias adquiriram fama imortal na Grécia e Roma antigas. Enormes estátuas de divindades foram esculpidas em madeira, confrontadas com ouro e placas de marfim. E nos últimos tempos, a arte de talhar em marfim passou de um clímax para outro.
Pen of the Year 2006
Pen of the Year 2006

ACHADOS FASCINANTES 

Materiais exclusivos de alta qualidade são escolhidos para a confecção da "Caneta do Ano": os materiais que são um desafio de serem obtidos.

Para obter o melhor marfim de mamute deve-se submeter a expedições à costa do Oceano Ártico, na Sibéria.

Congelado em gelo puro, o marfim lá manteve sua beleza imaculada. Apenas recebe a luz do sol durante o breve Verão da Sibéria, por exemplo, quando um pedaço de um iceberg se quebra.
Para a exportação, o marfim requer uma licença que não pode ser concedida até que uma avaliação científica seja realizada.
Pen of the Year 2006

PERFEIÇÃO EM PRETO E BRANCO

Assim como certas pessoas têm uma afinidade natural para alguns outros, alguns materiais apenas "andam juntos".

O Marfim é frequentemente combinado com o ébano, conhecida mesmo na antiguidade como uma das mais belas e mais caras madeiras. O cerne da madeira, muito marrom escuro ao preto, combina com o creme branco do marfim quase perfeitamente.

Esta composição toma forma ideal na "Caneta do Ano 2006 ". Em trabalho elaborado, as peças artisticamente esculpidas de marfim são incrustadas em um quadro de ébano.
Pen of the Year 2006

A ARTE DE ESCULPIR O MARFIM 

Marfim de mamute não possui similar. É de 20 a 25 por cento mais pesado, e um conhecedor irá imediatamente reconhecê-lo devido aos seus veios únicos.

O material absorveu umidade durante os milênios em que ficou enterrado no gelo e precisa passar por um processo de secagem lento e cuidadoso durante um período de três a cinco anos. Só então pode ser cautelosamente cortado, moído, transformado e polido. Isto requer habilidades especiais, e dificilmente há alguém melhor para executar a tarefa do que Jürgen Schott.

Como grão mestre da classe de escultores de marfim na região de Odenwald próximo a Heidelberg, ele está familiarizado com a rica tradição que tem produzido muitas obras de arte ao longo dos últimos 200 anos.
Pen of the Year 2006

APRESENTAÇÃO DE ALTA QUALIDADE 

Caneta do Ano 2006

Cada caneta é individualmente numerada e fornecida em um exclusivo estojo de madeira de cor marfim juntamente com um folheto belamente impresso e um certificado que é um de uma edição limitada.

O certificado possui a assinatura pessoal do mestre artesão Jürgen Schott, que atesta a qualidade do Marfim.
Pen of the Year 2006

QUALIDADE INCONFUNDÍVEL

O artesanato elaborado e a natureza individual de materiais naturais tornam cada  "Caneta do Ano 2006" uma obra de arte única. A pena bicolor produzida à mão em ouro 18 quilates está disponível nos tamanhos F, M e B. O clipe sólido, com mola garante posicionamento seguro da caneta uma vez inserido em um bolso. Uma tampa banhada a platina protege o mecanismo do êmbolo. O disco de marfim polido incrustado na extremidade externa da tampa revela a textura típica de marfim de mamute. No interior há a presença de um mamute estilizado gravado com as iniciais do mestre artesão.

Edição limitada a 2.000 unidades